Pelos Vales e Montanhas de Urubici

Urubici é uma cidade que fica a aproximadamente 170km de Florianópolis, cidade turística, conhecida pelo clima serrano e de muito frio no inverno.

Nós já conhecíamos a cidade, estivemos lá há uns 8 anos atrás, quando não pedalávamos.

Depois que começamos a pedalar tentamos várias vezes voltar lá para encarar os desafios de Urubici, mas os planos demoraram pra dar certo.

Enfim, nesse fim de semana de janeiro pudemos retornar lá e experimentar alguns trajetos muito recomendados por nossos amigos.

Sexta feira: Morro da Igreja

Saímos de Floripa pela manhã cedo, chegando lá fomos direto ao ICMBio (detalhes a baixo), almoçamos no centro e nos dirigimos ao Camping Nossa Senhora da Graças. É isso mesmo, a partir de agora passaremos a experimentar a arte de acampar, hábito até então desconhecido para nós dois….

CampingO camping estava praticamente vazio, escolhemos um local para nossa barraca, a montamos e nos arrumamos para o primeiro desafio: subir o Morro da Igreja – é de lá que se avista um dos mais famosos cartões postais de Urubici, a Pedra Furada.

Iniciamos o pedal às 14:30h, eu não sabia exatamente a quilometragem da subida, mas imaginei que seriam umas 2 horas ou um pouco mais para subir até o topo.

Na saída a temperatura era de 25 graus, o sol brilhava e o céu estava limpo. Do camping até a entrada do morro foram 10 km em trecho praticamente plano e então começamos a subir… O primeiro quilômetro era uma subida suave e cheguei a comentar que se fosse assim até o topo seria muito tranquilo. Rsrsrs… mas logo a inclinação foi aumentando e até chegar no km 3 a subida foi bem forte. Ali há um pequeno recuo, onde paramos para respirar e tomar água. Depois disso as subidas continuam, porém revezando entre subida leve e moderada…

Subida para o Morro da Igreja

No km 6,5 inicia o Parque Nacional e ali há uma guarita onde um guarda recolhe as autorizações para seguir adiante. E esse é um ponto importante: há controle na entrada no Parque do qual o Morro da Igreja faz parte, tanto para carros, como ciclistas ou pedestres. A autorização é retirada no centro de Urubici, na sede da ICMBio, (veja detalhes clicando aqui) e se você não a apresentá-la ao guarda, não subirá a partir deste ponto! Ali havia uma torneira com água fresca e aproveitamos para nos refrescar e abastecer nossas caramanholas.

O fato de eu não saber a quilometragem exata me deixou um pouco ansiosa e despreparada mentalmente, pensei em desistir algumas vezes, mas pensando que fui eu quem insisti para ir até Urubici para isso, não dei o braço a torcer!

Pedra Furada com Neblina

Depois de quase 3h, chegamos ao topo! No último quilômetro, uma neblina começou a subir e tomar a paisagem.  Assim, em poucos minutos a neblina cobriu a pedra furada e não conseguíamos mais vê-la, evento muito comum naquele local, por conta da altitude: 1.732 metros sobre o nível do mar!! A temperatura rapidamente caiu para 17 graus com uma sensação térmica de 12 graus devido ao vento frio e até ficamos um tempo esperando para ver se a neblina se abriria novamente, mas devido ao frio, resolvemos descer logo. Foi uma descida maravilhosa!!

Chegando no camping, tomamos banho, fizemos uma massa para comer e abrimos um vinho para comemorar o feito do dia! A noite na barraca com aquele friozinho, somando o cansaço, foi muito tranquila!

Segundo os registros do GarminConnect, foram 51,6 km pedalados em 3 horas e 30 minutos com um ganho de elevação de 1.181 metros!! Haja panturrilha!

Sábado: Serra do Corvo Branco e Morro do Campestre

Definimos que iríamos até a Serra do Corvo Branco, outro ponto turístico famoso da região.

Serra Corvo Branco - Ripio

Saímos 9:30h da manhã aproximadamente, após o farto café servido no camping. Os primeiros 10km foram os mesmos do dia anterior e embora com uma linda vista e onde a novidade em relação ao dia anterior foi a visita à belíssima Gruta Nossa Senhora de Loudes. Depois desta refrescante parada, pedalamos por mais 9 quilômetros em asfalto para depois então encarar um trecho de de 6km  de estrada de chão com muitas pedras e subidas em meio aos paredões da Serra Geral.

A temperatura estava alta, em torno dos 30 graus mas o vento fresco amenizou um pouco. Eu estava um pouco cansada da subida do dia anterior, mas cheguei no topo sem grandes dificuldades… E lá estávamos, no ponto onde existe o maior corte em rocha arenítica do Brasil e onde aproveitamos para fazer a nossa já característica foto “engraçadinha”, hehehe…

Fenda no Corvo Branco

Levamos sanduíches para um picnic lá, de frente para a vista linda que se tem do mirante. Depois de um pequeno descanso, tiramos muitas fotos e voltamos para o camping onde 5 amigos de Floripa haviam chegado para também pedalar pela região: a Josi, Renatinha, Mariele, Vânio e Eduardo.  Apesar de sabermos que não íamos pedalar juntos (eles iriam subir o Morro da Igreja no dia seguinte) foi uma grata surpresa tê-los lá conosco!

Vista do Corvo Branco

Durante a tarde eles decidiram pedalar até a Cachoeira do Avencal, e nós como estávamos já um pouco cansados, resolvemos tomar banho e descansar um pouco, mas só um pouco!

Antes do pôr do sol, Ari e eu fomos até o Morro do Campestre, que ainda não conhecíamos e agora sem bikes. Mais um lugar incrível, com uma vista de tirar o fôlego!!

Morro do Campestre

À noite nos reunimos todos no camping e jantamos juntos: pizza, queijo e muito vinho regaram nossas conversas e risadas… É sempre muito bom ter amigos por perto!!

Turma

Neste dia, novamente segundo o GarminConnect, foram 51,4km em 3 horas com um ganho de elevação de somente 642 metros, hahaha…

Domingo: Avencal

Depois de mais uma noite de sono na nossa barraquinha, tomamos café e desfizemos nosso acampamento para voltar a Floripa, enquanto nossos amigos se preparavam para sua subida no Morro da Igreja.

Turma2

Antes de seguirmos para Floripa, ainda passamos na Cachoeira do Avencal, que é maravilhosa e tem uma tirolesa que passa por cima dela, a 130 metros de altura. Se nós andamos na tirolesa? Claaaaro!! Visual indescritível!!

Tirolesa Avencal

Agora sim, estávamos prontos para voltar pra casa, depois desse fim de semana cheio de emoções e aventura…

Volta

Que venham muitos outros assim!!

Até! 😉

E curtam o vídeo que segue, com nossa aventura em 66s!

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s